terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Olinda, a capital da alegria e das cores

"Olinda, cidade heróica,
Monumento secular
Da velha geração...
Olinda, serás eterna 
e eternamente viveras
No meu coração!"
Olinda, capital da cultura e do carnaval

Olinda é um desses cantinhos mágicos, que encanta logo na chegada. Suas ladeiras, seus casarios coloniais, as charmosas (mas pouca preservadas) igrejas e as lindas paisagens já seriam motivos suficiente pra querer ficar uns bons dias na cidade. Mas não bastasse isso e Olinda é, não por acaso, uma das cidades mais culturais do país, preservando tradições pernambucanas, que me enchem os olhos e os ouvidos, como o frevo e o maracatu.
A primeira vez que estive na cidade foi num longínquo ano de 2005 e naquela ocasião fiz um passeio bem rápido e de carro (um pecado!) pelas ladeiras do Centro Histórico. Foi só agora, doze anos depois e na companhia do melhor parceiro de viagens, que consegui explorar a cidade, como ela merece em muitas subidas e descidas, além de curtir alguns bloquinhos nas animadas prévias de um dos carnavais mais autênticos do país.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Majete e a vida selvagem no Malauí

Majete Game Reserve, no Malaui

Com tantos problemas sociais e econômicos, preservação ambiental não é a prioridade no Malaui. Muito pelo contrário, boa parte da população consome os recursos naturais para sua própria sobrevivência. Poucos são as Reservas e Parques do país, sendo um dos maiores deles o Majete Game Reserve, criado em 2003 com ajuda de fundos internacionais no intuito de preservar a savana e os animais que habitam nesse ecossistema. Para isso, o parque foi todo cercado e várias espécies, antes erradicadas na região, foram reintroduzidas para re-adaptação e reequilíbrio do ecossistema. O resultado é um oásis para os bichos que podem aqui viver em paz e sem os riscos da caça predatória e da escassez de recursos.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Zimbabwe e o choque de civilização

Harare, 30 de Outubro de 2016

Harare, a capital do Zimbabwe

Após quase entrar no vôo errado (porque o aeroporto de Blantyre é um tanto quanto caótico), finalmente entrei num aviãozinho teco-teco que me levaria ao Zimbabwe. Pra minha grata surpresa, a viagem de apenas 50 minutos foi conduzida por uma capitã, mulher e negra e eu fiquei encantada com isso. As mulheres africanas são fabulosas e me surpreendem cada dia mais por sua garra e força.

Já na chegada à Harare, capital do país, levei um choque de civilização: ar condicionado, esteiras para as malas, lojas dentro do aeroporto. Já entendi que as coisas ali não seriam como no Malaui e, com o tempo minha impressão, se confirmou e se ampliou. Chegava a um país completamente diferente.

domingo, 13 de novembro de 2016

As maravilhas do Lago Malaui

Lago Malawi

O Malaui é um país pequenino, espremido entre Moçambique, Zâmbia e Tanzânia e sem saída para o mar. Mas, em compensação, tem em seu território boa parte de um dos maiores lagos de toda África, tanto em extensão, quanto em profundidade: o fabuloso Lago Malaui o mais famoso ponto turístico do país. Seu tamanho e também sua biodiversidade são tão importantes que, desde 1984, o lugar é considerado Patrimônio Mundial Pela UNESCO e aqui encontram-se várias espécies de peixes que não existem em nenhum outro lugar do mundo. O lago tem milhões de anos de existência e faz parte do imenso Vale do Rift, que é uma falha tectônica, que vai desde Moçambique até a Síria e surgiu, quando da separação dos continentes africanos e asiáticos.
Foi para esse cantinho especial que mais parece saído de uma cenário de filme, que fui com colegas de trabalho, no primeiro fim de semana semana prolongado que tive no país, numa deliciosa e inesquecível aventura, que relato a seguir.