terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Itacimirim em boa companhia


Em Jericoacoara conhecemos um casal muito especial: a July e o Nicolas, que logo se tornaram nossos amigos, pela afinidade que rapidamente tivemos. Desde Jeri, mantivemos contato e quando surgiu uma promoção de passagem aérea para Salvador, pensamos imediatamente em encontrá-los, já que ambos são soteropolitanos. Nesse meio tempo, desde a viagem para Jeri, a July passou num concurso público e foi morar em Brumado (distante longas oito horas da capital baiana), mas quando soube da nossa ideia de ir pra Praia do Forte e conseguiu se organizar para estar em Salvador no fim de semana que estaríamos lá. E pra aumentar ainda mais nossa admiração por esse casal, ela ainda ofereceu sua casa de praia, em Itacimirim para passarmos o fim de semana com ela e sua família. Fomos tratados literalmente como reis pela July e pelo Nicolas e também pelos pais dela, a Leda e o Marcelo, muito atenciosos e ótimos anfitriões. Foram dias lindos com Sol, praias paradisíacas e em excelente companhia. Fica aqui nossa gratidão a essa família incrível e já esperamos reencontrá-los em breve, aqui em São Paulo, ou onde a vida nos levar.

A conturbada Chegada à Salvador

Nosso vôo estava marcado para sair de Guarulhos no fim da tarde e encontramos o aeroporto num verdadeiro caos: vôos atrasados, pessoas amontoadas na sala de embarque, funcionários perdidos e informações desencontradas. Conversamos com pessoas que estavam esperando a mais de doze horas e ainda sem previsão de embarque. Uma vergonha pro maior aeroporto do país, ainda mais na véspera da Copa do Mundo e exatamente no dia do sorteio dos grupos (que aliás, foi na Costa do Sauípe, bem perto do nosso destino). Filmei uma parte da sala de embarque, onde dá pra ver pessoas deitadas no chão, uma muvuca estrondosa e muito barulho, mas isso foi só uma parte dos nossos problemas.

Nosso vôo atrasou quase seis horas e a única coisa boa desse perrengue foi um excelente jantar no Viena do aeroporto com buffet livre, onde nos esbaldamos de comer. Por lei, em qualquer atraso superior há duas horas, a companhia aérea é obrigada a fornecer alimentação aos clientes. Esperávamos aqueles lanches de avião, mas fomos positivamente surpreendidos por um belo jantar. 
Quando voltamos pra sala de embarque, já tínhamos previsão de horário e, finalmente, conseguimos embarcar. Porém, os problemas não tinham terminado. Um erro com o transporte das bagagens fez com que malas de outro vôo fossem parar no nosso avião e tivemos que esperar a retirada dessas bagagens erradas. Uma senhora acabou perdendo a paciência e exigia sair do avião, pois estava com claustrofobia e, além disso, queria ver as suas próprias bagagens. A comissária tentava explicar que o procedimento de portas já havia sido iniciado e que a abertura corresponderia à mais atraso, mas mesmo assim a senhora exigia sair do avião. Isso gerou mais confusão e decolamos depois de já estarmos há mais de uma hora dentro do aeronove. 

Finalmente, chegamos à Salvador e fomos recepcionados pela July e pela Leda, que nos esperavam na sala de embarque. O Nicolas já estava no carro e seguimos direto à Itacimirim. A viagem foi rápida e cheia de boas conversas. Na chegada, conhecemos o Marcelo, pai da July e o Thor, um filhotinho de pitbull e o mais novo integrante da família. Ficamos bebendo uma cervejinha gelada e proseando até três da manhã e nem lembrávamos mais de todo o caos que passamos mais cedo. Foi uma noite agradável e alegre com pessoas mais que especiais. 

Finalmente, Itacimirim

Não conseguimos acordar muito cedo, mas logo após uma delicioso café da manhã, seguimos com nossos amigos para conhecer as praias de Itacimirim.
A primeira parada foi na Praia da Barra, local de encontro do Rio Pojuca com o mar. Uma rápida caminhada e já estamos na foz do rio. O visual é deslumbrante: areias, coqueiros e as águas em perfeita harmonia. 
Foz do Rio Pojuca

Na praia, havia um grupo de homens e mulheres vestidos de branco e fazendo batuques. Entendemos que era algum ritual de candomblé e ficamos um bom tempo os observando. Um dos homens me chamou atenção, pois ficou o tempo todo ajoelhado fazendo movimentos com a mão e me perguntei se estaria recebendo um santo. Fiquei com vontade de conhecer mais dessa religião e de visitar algum terreiro, em Salvador. Assim, já tenho mais uma desculpa pra visita nossos amigos de novo.

Grupo de candomblé na beira da praia

July observando a movimentação do grupo de Camdomblé

Filmei uma parte do ritual, mas logo uma senhora veio nos pedir para que não filmássemos e nem fotografássemos usando zoom. Eu não apaguei meu vídeo, nem as fotos com zoom, mas em respeito à eles não postarei aqui.

De lá, partimos para o outro extremo de Itacimirim: a Praia das Ondas, onde o pessoal pratica surfe e stand-up (aquela prancha com remo). Para chegar à essa praia, fizemos uma caminhada por um trecho com piscinas naturais belíssimas, muito parecidas com a que veríamos na Praia do Forte, nos dias posteriores.

Piscinas naturais em Itacimirim

Mais piscinas

Depois de uma rápida caminhada, chegamos na Praia das Ondas e, apesar de movimentada, estava agradável pro banho e ainda não há barracas ali, o que deixa o lugar mais autêntico e natural. 

Chegando à Praia das Ondas

Ficamos bastante tempo lá, tomando banho de mar e conversando. A água é quentinha e as ondas são na medida certa pra deixar o banho agradável, mas sem atrapalhar. Perfeitinha.

De lá, partimos pro último destino do dia: a Praia do Duda, onde nos esperavam a Leda e o Marcelo. A praia é linda e com águas calmas e cristalina. Pensa num lugar bonito!

Praia do Duda

Barco de pesca na Praia do Duda

Ficamos lá tomando umas cervejinhas e caipirinhas e o pessoal pediu um caranguejo. Eu e o Nicolas comemos um peixinho minúsculo e bem gostosinho, chamado Pititinga (valeu o lembrete, Nicolas!).

Nicolas, July e os caranguejos

De lá, voltamos pra casa e passamos a tarde curtindo a feijoada deliciosa da Leda, tomando (mais) uma cervejinha, na piscina. E eu, preguiçosa, ainda tirei uma soneca. Vida dura essa...

Marcelo ninando o Thor

Thor

À noite, fomos dar uma volta na Praia do Forte e comemos uma pizza por lá. Estava rolando um festival de música e uma bandinha passou do nosso lado, cheia de moças e crianças vestidas com roupas típicas. Uma graça.

Desfile de baianas, na Praia do Forte

Baianinha tristonha

Voltamos pra Itacimirim cedo, pois no dia seguinte o Nicolas teria uma prova e precisava estar em Salvador na hora do almoço.

A triste despedida de amigos queridos


Acordamos mais cedo e tivemos um verdadeiro café-da-manhã baiano: cuscuz (preparado pelo Nicolas) com ovo mexido, banana assada, pães, frutas e um verdadeiro banquete.
Logo depois do café, arrumamos nossa mala, pois nossos amigos já voltariam para Salvador naquela manhã. Eles nos deixaram na Praia do forte, onde ficaríamos hospedados e nos despedimos já cheios de saudade e planejando novos encontros o quanto antes. Não é todo dia que encontramos pessoas tão especiais e quando isso acontece temos que aproveitar.
Naquele mesmo dia ainda iríamos pra Imbassaí e voltaríamos caminhando para Praia do Forte, mas isso eu vou contar no próximo post.


Im memorian
Pouco mais de um ano após nossa passagem por Itacimirim, o Marcelo, pai da July e que tão bem nos recebeu, foi brutalmente assassinado em sua própria casa. Fica aqui registrado nosso profundo pesar e condolescência à essa família tão querida. E que esse post seja uma homenagem à ele, que tanto amou esse lugar e fez daqui um lugar tão especial. 

6 comentários:

  1. Q bom q vcs gostaram da estadia aqui. Da próxima vez prometo q será melhor, programaremos uns passeios pela região.

    Beijão

    Lêda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lêda, já foi tudo tao bom, que acho difícil que melhore na próxima! Mas eu topo! rs
      Bjos!!!

      Excluir
  2. Muito bom ver as fotos e lembrar desse final de semana com vocês! Queria saber fotografar assim... essa última está simplesmente sensacional!
    E que café da manhã banquete foi esse que vc mencionou? Acho que perdi esse momento, n vi banquete nenhum :P
    Obrigada pelo carinho! Tudo de bom pra vocês... muito mais amor e muuuitas viagens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. será q eles foram tomar café da manhã em algum hotel lá por perto, antes de nos levantarmos? tô achando q sim.

      Excluir
    2. Obrigada, July!!!
      É que vcs já tão acostumados com aquele banquete! Pra nós, foi novidade! hehehehe
      Espero vê-los novamente em breve!!!! :)
      Bjos

      Excluir
  3. Com tantas mordomias, acho que se um dia for convidado, vou passar um final de semana na mansão de Dona Leda e Sr. Marcelo!!!

    ResponderExcluir