sexta-feira, 27 de junho de 2014

Cayo Santa Maria

Cayo de las Brujas, no Cayo Santa Maria, em Cuba.

Já que o destino nos levara para Remedios, aproveitamos para conhecer seu vizinho mais famoso, o Cayo Santa Maria, localizado a cerca de 70km da cidade. Foi nossa primeira (e única) experiência dentro de um cayo e penso mesmo que nossa viagem pra Cuba não estaria completa sem conhecer esse tipo de lugar tão comum na ilha. A palavra cayo vem da expressão cáicu de origem taína (os índios que habitavam o Caribe antes dos espanhóis chegarem) e significa ilha, ou terra e são exatamente isso: pequenas ilhas formadas na superfície de arrecifes de corais.
Os cayos mais badalados de Cuba são o Largo e o Coco, mas muitos outros atraem turistas com seus resorts all inclusive e o Cayo Santa Maria é um deles. Para nós que buscávamos algo mais autêntico, foi uma experiência curiosa ir num lugar em que poucos cubanos frequentam. Até não muito tempo atrás, eles eram proibidos por lei de entrarem no cayo; hoje, podem ir até lá, mas a verdade é que quase nenhum cubano tem dinheiro para pagar o pedágio cobrado na entrada. E mesmo os que vão, são questionados pelo governo, que quer saber da onde veio o dinheiro pra entrar lá.
Claro que nós conseguimos, mesmo num lugar mega turístico, achar um cantinho mais tranquilo e pudemos até mesmo "almoçar" com alguns trabalhadores da obra de um novo resort em construção na região. E ainda tivemos uma das melhores surpresas da viagem: conhecemos a Julieta e o Emmanuel, um casal argentino com quem tivemos imediata afinidade e rapidamente tornaram-se nossos amigos.
Um dia que rendeu muitas histórias e que relato a seguir.

Cayo Santa Maria


Dia de acordar cedo. Marcamos às 9h com um táxi coletivo que nos levaria até o Cayo. O café da manhã foi preparado pela Estela e estava uma delícia: pão, frutas, geléia, leite. Logo o Alain, nosso simpaticíssimo motorista, chegou com seu carro vermelho dos anos 50 e com ele trouxe uma bela notícia:  um casal dividiria conosco o carro e as despesas. Excelente!
Logo estávamos todos à bordo e indo em direção à praia. O céu estava nublado e com cara de poucos amigos, mas não queríamos perder a oportunidade de conhecer o famoso cayo e seguimos corajosamente.
Pegamos a mesma rodovia da véspera, quando fomos conhecer Caibarién e de lá uma estrada construída no meio do mar nos leva até o imenso arrecife. A estrada é impressionante, pois não é uma ponte. É um montoado de pedras dentro do mar, com asfalto em cima. Não me pareceu muito ecológico e me questionei bastante sobre o impacto ambiental daquilo, mas a verdade é que é bem emocionante andar no meio do mar.

Pedraplén, estrada que liga o Cayo Santa Maria à Remedios, em Cuba.
Pedraplén , estrada construída no meio do mar, que liga o cayo ao continente

Já no caminho de ida, nos afinizamos muito com nosso simpático motorista e com o casal de argentinos que nos acompanhava. Conversamos sobre nossos roteiros e algumas peculiaridades do país e logo estávamos todos amigos.
Ao entrarmos no cayo, fomos parados e precisamos mostrar nossos passaportes para a polícia que fica na entrada. Ali também, pagamos um pedágio e seguimos adiante sem muitas burocracias. Alain queria nos levar a uma praia mais tranquila, próximo a um hotel, mas várias vias do cayo estavam bloqueadas, já que um novo resort está sendo construído e tudo ali parecia estar girando em torno da nova construção. Fomos perguntando para os inúmeros funcionários do novo empreendimento como chegar em alguma praia e logo descobrimos uma entradinha discreta para o paraíso.

Praia deserta no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Opa! Ali, está a praia!

Nossa praia particular no Cayo Santa Maria


A pequena praia parecia nunca ter recebido uma visita humana, a não ser dos funcionários do resort, que deixavam alguns entulhos da obra "guardados" ali. Confesso que o lugar não nos chamou muita  atenção num primeiro momento. A água era cristalina e transparente, mas esperávamos aquele mar de azul gritante típico do Caribe, que já tínhamos visto antes na Península Ancón e na Playa Maguana. Resolvemos, então, caminhar pelos corais para ver onde daria e aí que foi nossa grande e grata surpresa: a transparência da água e o isolamento da praia nos permitiram ver uma riqueza embaixo d'água que ainda não tínhamos visto. Eram dezenas (repito, dezenas) de estrelas do mar, ouriços, peixinhos de várias cores e tamanhos. Íamos caminhando pelo coral e nos deliciando com o que víamos dentro do mar.

Praia deserta no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Água cristalina numa praia virgem

Praia deserta no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Uma das dezenas de estrelas-do-mar que avistamos, caminhando pelos corais

Fomos até a ponta do coral e vimos que ele continuava por alguns quilômetros. Começamos a caminhada de volta e não resistimos de entrar no mar pra ver de perto toda aquela diversidade de vida marinha. Eu e Thiago não somos mergulhadores, mas sempre carregamos conosco uns óculos de mergulho pra, pelo menos, curtir o visual de poucos metros abaixo da água. Foi o que fizemos ali, por bastante tempo, curtindo cada cantinho do coral.

Praia deserta no Cayo Santa Maria, em Cuba.

Enquanto isso, nossos amigos argentinos estavam curtindo a praia e o banho de mar. Mas nós queríamos que eles vissem também aquelas maravilhas e, então, sequestramos (apenas por alguns minutos) uma das estrelas-do-mar e levamos até a praia pra que eles vissem. Claro que depois a devolvemos pro seu habitat e não fizemos a barbárie de levá-la pra casa.

Estrela do mar no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Estrela-do-mar sequestrada (e depois devolvida ao mar)

Ainda ficamos ali algum tempo curtindo a água cristalina e os últimos raios de Sol que bravamente ainda apareciam no céu. Mas nosso simpático motorista, ainda insistia que deveríamos conhecer a outra praia e nos sugeriu de irmos caminhando, a partir do ponto que a estrada estava bloqueada para carros. Aceitamos a aventura e seguimos para lá.

Cayo de las Brujas


Foi uma caminhada curta, de uns dez minutos apenas e chegamos ao Cayo Las Brujas, como é chamada essa praia, devido ao hotel com esse nome, que se localiza próximo dali.

Cayo de las Brujas, no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Caminhada para o Cayo Las Brujas

A caminhada valeu mesmo à pena. Assim que chegamos nos surpreendemos com a cor do mar. Mesmo com o céu chumbo de tão nublado, o mar era de um azul indescritível de tão lindo. Ficamos encantados com o visual, mesmo com o risco iminente de chuva.

Cayo de las Brujas, no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Chegando ao Cayo de Las Brujas

Cayo de las Brujas, no Cayo Santa Maria, em Cuba.
A incrível cor do mar, mesmo com céu nublado

Caminhamos pela praia e nossos amigos logo acharam um cantinho pra tomar banho de mar. O problema é que logo eu vi uma tempestade se aproximando e começamos a correr atrás de um abrigo seguro. Fomos os quatro pra uma cabana, onde também se abrigavam um grupo de trabalhadores do tal resort em construção. E graças à chuva, tivemos a bela oportunidade de encontrá-los e trocar ideias, já que dificilmente os cubanos frequentam aquele lugar. O que aconteceu foi que eles foram contratados pra fazer um determinado serviço e terminaram rapidamente, ganhando algumas horas de descanso na praia. Ali mesmo, eles pescaram alguns peixes e com ajuda de sal e limão, preparam o almoço do dia, que compartilharam conosco. E incrivelmente, a iguaria estava uma delícia, mesmo sendo preparada no improviso.
O curioso é que estavam todos de cueca e não pareciam estar intimidados por isso. Parece algo normal em Cuba, cair na água do mar de cueca.

Nativos de Cuba, no Cayo de las Brujas, no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Com nossos amigos cubanos

O tempo passou tão rápido ali na cabana,que nem vimos que a chuva havia passado e o Sol voltava a dar suas graças. Voltamos pra praia e aproveitamos mais um pouco do mar, mas o vento gelado não nos animou de ficar muito mais tempo por ali.

Cayo de las Brujas, no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Juli e Emma curtindo o mar do Caribe

Começamos nossa caminhada de volta, com uma parada numa outra cabana para esperar a hora que tínhamos marcado com o Alain, no início da estrada. Quando chegamos lá, ele já nos esperava ansioso e aproveitamos para tirar algumas fotos com seu estiloso carro.

Cayo de las Brujas, no Cayo Santa Maria, em Cuba.
Nós posando ao lado do estiloso carro do Alain

Já era hora de voltar e, já cheios de intimidade, fomos fazendo piadas sobre a Copa do Mundo e outros assuntos que mexem com os brios de Brasil e Argentina. O interessante é que Emmanuel e Julieta eram ambos muito politizados e militantes de esquerda, compartilhando conosco de algumas ideias sobre a ilha. Foi muito interessante conversar com eles e aprendemos bastante sobre a Argentina e sobre Cuba também. Aliás, ficamos impressionados com a quantidade de argentinos que encontramos em Cuba, desde Baracoa até Havana. Enquanto que brasileiros mesmo, só vimos no aeroporto, mas não encontramos nenhum nas cidades cubanas. Ficamos com a impressão que nossos compatriotas preferem os resorts fechados. Infelizmente.

Clima descontraído no retorno à Remedios com nossos amigos argentinos

Aproveitamos que chegamos cedo para descansar um pouco e logo seguimos pra praça principal, afinal era no fim de tarde que o lugar ficava mais movimentado e divertido. Encontramos, mais uma vez, nossos amigos argentinos e nos confraternizamos bastante com eles e com alguns cubanos que tocavam violão num bar. Obviamente que o Thiago tocou também e foi uma festa.
Logo já era hora da janta e nos despedimos dos amigos, pois havíamos marcado com o Augustin (nosso anfitrião em Remedios), mas não foi a despedida definitiva, pois pra nossa grata surpresa, eles foram embora conosco na manhã seguinte (levados por nosso insuperável motorista Alain) e tivemos mais algumas horas de risadas até chegarmos a Santa Clara, mas isso eu conto no próximo post.


Mais sobre Cuba:

6 comentários:

  1. Olá!!! Adorei o blog de vcs! Estou indo pra Cuba no próximo mês e pretendo visitar cayo Santa Maria. Vc sabe onde fica essa praia cheia de peixes e Estrela do mar? Algum ponto de referência..... Muito obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris! Desculpe a demora na resposta, mas estou no Malawi e a conexão aqui não é das melhores! Pois bem... achamos essa praia por acaso e realmente não tenho referência. Mas olha... acho que só de vc sair um pouco das praias mais movimentadas, já vai encontrar a natureza mais preservada! :)
      Aproveite Cuba, que vale cada minuto!!!!
      Beijo

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Muito obrigada Ana!vou aproveitar muito com certeza! Se cuida aí e parabéns por ajudar tantas pessoas!
      Bjs!!!!

      Excluir
  2. Ola adorei o blog de vocês e as fotos então são maravilhosas. Estou indo para Cuba no mês que vem e não consegui decidir qual dos cayos devo conhecer, até por uma questão de orçamento, você lembra quanto gastaram em média para conhecer cayo santa maria??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ariane, não nos hospedamos no cayo. Ficamos em Remedios, que era mais barato e contratamos um taxi pra nos levar num bate-e-volta. Portanto, nosso único custo foi mesmo o do táxi, mas já não me lembro quanto foi (saiu barato, pois dividimos com mais um casal, como contei no post)
      Um abraço

      Excluir