sábado, 4 de julho de 2015

Laguna Colorada, vermelha de verdade

Laguna Colorada, na Bolívia

Não, não foi para apenas conhecer o Salar de Uyuni que eu quis vir até o altiplano boliviano. É claro que vislubrar aquela imensidão branca é fantástico e inesquecível, afinal é o maior deserto de sal do mundo, mas encarar toda a cansativa viagem desde Santa Cruz de la Sierra, passando por Sucre e ainda encarar uma noite sob o soroche potosino não faria sentido para apenas isso. Meu objetivo mesmo nessa viagem era conhecer a fabulosa, estonteante, majestosa, gigantesca e (cada vez menos) vermelha Laguna Colorada. Não lembro quando ouvi falar dela pela primeira vez, mas desde então as imagens que vi de suas águas coloridas e seus milhares de flamingos não saíam da minha memória até estar frente-a-frente com ela e poder constatar: a Laguna Colorada é mais linda do que qualquer imagem possa capturar. Tanto que, apesar de tê-la conhecido no mesmo dia das demais lagunas altiplânicas, fiz questão de deixar um post separado apenas para ela.


Flamingos na Laguna Colorada, na Bolívia
Laguna Colorada com suas centenas de flamingos

A fabulosa Laguna Colorada

Preciso dizer, antes de mais nada, que seu tamanho me surpreendeu. Sabia por leituras e imagens que era grande, mas não imaginava algo tão gigantesco. Chegamos até ela por uma colina que divide a laguna em duas metades e as pessoas que já estavam lá embaixo, em suas margens, pareciam minúsculas. São 63 km quadrados de extensão e eu não fazia ideia de que tamanho isso representava até chegar lá e vê-la com meus próprios olhos. E posso afirmar: ela é verdadeiramente impressionante.

Cerro Negro refletido na Laguna Colorada, na Bolívia
Minha primeira visão da Laguna Colorada (com o Cerro Negro ao fundo)

Flamingos na Laguna Colorada, na Bolívia
Um cantinho (pequeno) da laguna

Nenhuma foto consegue dar a exata dimensão do que é aquele lugar e só estando lá pessoalmente para ouvir o barulho ensurdecedor dos milhares de flamingos dividindo o espaço com as ilhas de bórax (que eu achei, num primeiro momento de ingenuidade, que fossem pequeno icebergs).Chegamos lá no fim de tarde e já dentro do carro, todos exclamavam vários: uau, ohh e expressões afins. É simplesmente impossível não emitir algum som ao encontrar a Laguna Colorada pela primeira vez.

Juntei toda a minha energia para conseguir superar a dor que sentia no braço após o acidente que sofri na Laguna Hedionda minutos antes de chegarmos ali e me esforcei para conseguir caminhar por aquele lugar mágico e valeu todo o esforço, todo o sacrifício e toda a dor só para estar ali naquele momento. Um dos pontos altos da viagem, não tenho dúvidas.

Flamingos na Laguna Colorada, na Bolívia
Revoada de flamingos voa sobre a laguna

Essa cor vermelha da lagoa não é reflexo das montanhas, nem do céu de fim de tarde. É a cor natural da água, que fica assim pelo crescimento de algas uni-celulares e primitivas, que liberam essa pigmentação. O mesmo acontece na laguna verde e em outras águas coloridas no altiplano. Esses micro-organismos são milenares e foram um dos primeiros seres vivos a liberar oxigênio para o atmosfera, tanto que muitos cientistas acreditam que elas tenham sido fundamentais para a adaptação da vida extra-aquática.
Mas, infelizmente, a atividade mineradora dos últimos anos tem modificado bastante o ecossistema das lagunas altiplânicas e isso tem afetado a reprodução das algas. Tanto que a cor vermelha de suas águas tem ficado menos intensas a cada ano e não é difícil observar a diferença, quando vemos imagens mais antigas da laguna, que apresentava uma cor vermelho-sangue, enquanto hoje é um vermelho quase azulado. Uma triste realidade.

Cerro Negro e Laguna Colorada, na Bolívia

O bórax e os flamingos

Uma outra característica marcante daqui são as imensas ilhas de bórax com sua coloração branca contrastando com o vermelho das águas. O bórax é um sal solúvel em água, que forma cristais em sua estrutura. Tem várias utilidades, desde a formação de vidros resistentes ao fogo, passando por detergente e sambão até a confecção de aparelhos ortodônticos. Existe, nas proximidades da Laguna Colorada, mineração de bórax que é exportado para Europa e EUA, mas ela ainda é pequena, quando comparada ao potencial do lítio na região.

Flamingos na Laguna Colorada, na Bolívia

E, por último, eu não poderia deixar de falar deles, as estrelas da Puna: os flamingos (ou pariwanas, como são chamados pelos nativos). É aqui onde encontramos as maiores populações das três espécies típicas dos Andes, que são o Flamingo Andino, o Chileno e o James e é simplesmente alucinante vê-los tão massivamente ali. Já falei bastante deles no post passado, mas não tem como pensar na Laguna Colorada sem lembrar desses animais habitando em milhares as águas lodosas daquele lugar. Apesar de termos visto flamingos ao longo de todo o dia, em outras lagunas, nada se compara ao que vimos aqui.

Flamingos na Laguna Colorada, na Bolívia

Flamingos na Laguna Colorada, na Bolívia
Os flamingos quase formam notas musicais na Laguna Colorada

Flamingos e bórax na Laguna Colorada, na Bolívia
Imensas ilhas de bórax com flamingos ao seu redor

Sem dúvida que a Laguna Colorada foi um dos lugares mais bonitos e impressionantes que já conheci. Claro que a dor que eu sentia no braço, enquanto estava por lá, fizeram com que meus sentimentos e lembranças sobre essa experiência se misturassem e eu teria aproveitado muito melhor se tivesse em plena forma física, mas mesmo assim (ou talvez por isso mesmo) vou guardar para sempre a memória do esforço que fiz para estar em meio àquela paisagem magnífica. E valeu cada segundo.


Mais sobre a Bolívia e oSalar de Uyuni:


Um comentário: