sexta-feira, 15 de abril de 2016

Três anos na trilha



E não é que devagar e sempre, nosso blog completa hoje três lindos aninhos de vida? Passou rápido até, mas confesso que me surpreendo de ter conseguido manter esse espaço por tanto tempo, mesmo com a correria e as atribulações da rotina. E se consegui foi pelo carinho que tenho por cada texto aqui postado e por cada lugar que visitei, assim como aos comentários afetuosos que sempre me estimulam a continuar. Claro que outros fatores também contribuíram e acho que um muito especial é que eu sempre pensei pequeno, sem grandes pretensões, ou objetivos e fui construindo cada post até ele chegar aos 130 posts atuais. Comecei o blog, num longínquo 15 de abril de 2013 apenas para unir fotografia e escrita, duas paixões na minha vida e fui me animando e pegando o gosto pela blogagem (mesmo que amadora).

3 anos do Nativos do Mundo
Ouro Preto (MG)
Algumas coisas não mudaram desde o primeiro dia, como a fidelidade ao turismo sustentável e às experiências com comunidades locais, no intuito sempre de valorizá-las e respeitá-las. Mas outras tantas coisas mudaram bastante e sem dúvida que 2015 foi o ano de maiores transformações por aqui. A principal delas foi em julho, com a compra do nosso domínio próprio, o que impulsionou a mudança definitiva do nome do blog que deixou de ser o (saudoso) Por Aí para virar esse lindo e atual Nativos do Mundo. Não foi uma mudança fácil, mas não me arrependo, já que realmente escolhemos um nome que se encaixa demais com o que queremos: conhecer os nativos desse mundão grande e sem porteira. E idealmente sem fronteira. A história de como escolhemos esse nome, eu contei nesse post aqui e tenho cada dia tenho mais certeza de que foi a escolha mais acertada que poderíamos ter.

3 anos do Nativos do Mundo
Cunha (SP)

E depois dessa, outras mudanças vieram ao longo do ano: fiz uma página de apresentação do blog, contando um pouco de quem somos (apesar de sempre ter cuidado em não transformar esse espaço em mero espelho narcísico, me dei conta de que escrever sobre meus propósitos era importante para contextualizar o leitor) e até preparei as políticas do blog visando uma possível monetização, um passo ousado para mim, que sempre fiquei na dúvida sobre tentar algum ganho financeiro por aqui. Fiz até um email para ampliar a rede de comunicação e preciso dizer que ele está mais ativo do que eu imaginava. Um outro momento ousado foi quando, depois de muito refletir e avaliar, decidi fazer a parceria com o Booking.com, mesmo que ainda esteja longe de realmente investir nisso a ponto de ganhar algum dinheiro. Comecei a parceria em setembro e ainda estou longe (bem longe) de acumular os €100,00 que o Booking exige para o meu primeiro pagamento. E do pouco que tenho lá, 90% são de reservas que eu mesma fiz em nossas viagens e os outros 10% de reservas feitas por amigos próximos. Mas, por enquanto, ele está lá para quem quiser fazer suas reservas e ajudar esse espaço aqui. O objetivo para esse ano é pagar apenas o domínio do blog para não ter despesa com ele. Quem sabe se nos próximos anos as ambições aumentam?

3 anos do Nativos do Mundo
Isla Grande
(Colômbia)

Essas parecem coisas bobas e simples para um blog que já tem três anos de existência, mas para mim são passos gigantes, principalmente porque para fazer isso eu saí do meu casulo de fantasiar estar escrevendo apenas para mim mesma e assumi (internamente) que quero, sim, escrever para ser lida por mais pessoas, além do Thiago (que lê religiosamente todos os posts e faz as revisões gramaticais necessárias). Isso tem um impacto tão grande, que até minha escrita mudou, pois passei a ter um interlocutor real a quem me dirigir. Comecei a preparar, no fim de cada post, informações práticas do destino em questão e já consegui até fazer isso com textos antigos. Além de começar a colocar (bem aos poucos) falas direcionadas diretamente à você, caro leitor, coisa que antes não fazia por achar que esse caro leitor sequer existia.

Rio de Janeiro 

Por ter sido um ano tão intenso, não poderia deixar de comemorá-lo. E farei como nos outros anos, já que me diverti muito assim: com uma retrospectiva dos posts e destinos que estiveram presentes aqui deste o aniversário passado. E convido você à viajar de volta no tempo junto comigo!

O ano de 2015 foi bem atribulado na vida pessoal e profissional, o que culminou na redução das viagens e, obviamente, dos posts. Foram 40 postagens de 16 viagens por 6 países diferentes. 

3 anos do Nativos do Mundo
São Luiz do Paraitinga
(janeiro/16)


O Brasil, como sempre, foi minha maior fonte de inspiração e esse ano foram muitas as revisitas à lugares que amamos e voltamos com frequência, como a deliciosa São Luiz do Paraitinga que sempre está presente no blog. Esse ano dediquei dois posts a cidade: um sobre o autêntico Festival da Música Caipira e outro sobre o animado Festival de Marchinhas de Carnaval. Pura diversão!

3 anos do Nativos do Mundo
Paranapiacaba
(abril/15)


Outro lugar que já fomos diversas vezes, mas que eu nunca havia escrito a respeito é Paranapiacaba. Coladinha em São Paulo e cheia de surpresas adoráveis a serem descobertas, eu devia um post à esse lugarzinho peculiar e em abril, paguei a dívida em grande estilo, fazendo um apanhado de festas e festivais, que acontecem na cidade ao longo de todo o ano.




Bertioga
(novembro/15)

Assim como Paranapiacaba, Bertioga também merecia um post por aqui fazia tempo e eu tinha fotos acumuladas, desde minha primeira visita à cidade, em 2008. Mas quis o destino que só em 2015 que eu conseguisse inspiração para escrever sobre essa praia simples e pacata do litoral norte de São Paulo. O resultado me agradou!








Isso sem contar Ubatuba que bate carteirinha no blog, desde sempre. Esse ano, foram duas visitas à cidade em intervalos curtos e para ficar exatamente no mesmo lugar. Pois é, nos apaixonamos por Picinguaba de forma tão avassaladora que em menos de dois meses voltamos e aproveitamos para conhecer a vizinha Ilha das Couves, um espécie de paraíso terrestre em plena Serra do Mar.





3 anos do Nativos do Mundo
Juréia
(abril/15)


Além das revisitas, tiveram as descobertas, que sempre adoramos fazer. Talvez a mais pitoresca delas tenha sido a Barra do Una, que nos deixou comppletamente de queixo caído. Parte da Juréia e dentro de Peruíbe, a praia fica num dos trechos mais preservados do litoral sul de São Paulo e é simplesmente de tirar o fôlego.






3 anos do Nativos do Mundo
Cunha
(Junho/16)


Ainda na linha das descobertas, foi uma delícia conhecer o cheiroso Lavandário de Cunha, numa viagem comemorativa do nosso aniversário de relacionamento, onde ainda aproveitamos para participar da ancestral festa junina do Jongo Tamandaré de Guaratinguetá, que foi arrepiante de tão lindo.
3 anos do Nativos do Mundo
Santana de Parnaíba
(outubro/15)








E teve também algo novo para mim, mas que eu adorei fazer. Planejei uma visita à Santana de Parnaíba única e exclusivamente para fotografar a cidade com intuito de posteriormente escrever sobre seu adorável Centro Histórico. Em geral, acontece o contrário: é da viagem que surge o post, mas dessa vez foi diferente, já que quando fomos à Santana de Parnaíba, no feriado de Corpus Christi, eu estava com braço quebrado e não consegui fotografar. O retorno acabou sendo fonte de inspiração, já que a cidade estava toda florida e linda. Uma delícia de experiência!


E tiveram as grandes viagens, menos frequentes que nos outros anos, porém mais diversas, já que batemos o recorde no número de países visitados num só ano.

3 anos do Nativos do Mundo
Tiradentes
(Maio/15)
A primeira grande viagem foi, em realidade, por acaso. Estávamos com tudo certo para ir à Bolívia, mas imprevistos nos fizeram encurtar a temporada andina e eu, com o tempo livre, decidi fazer uma viagem solitária pela Estrada Real. Mesmo adorando viajar com o Thiago, gosto dessa experiência de estar sozinha na estrada e dessa vez não foi diferente. Reencontrei Tiradentes, que não visita fazia tempos e conheci preciosidades, como Congonhas do Campo, Ouro Preto e Mariana




3 anos do Nativos do Mundo
Bolívia
(Maio/15)
Após, os quilômetros rodados em Minas Gerais, segui (agora com o Thiago) para nossa tão esperada viagem para Bolívia, mesmo que com tempo reduzido. Mudamos os planos e decidimos focar apenas no Salar de Uyuni, um sonho antigo nosso. A viagem foi bem problemática, desde a nossa chegada em Potosí e culminou num acidente que sofri no segundo dia do salar, quando estávamos nas Lagunas Altiplânicas, quando acabei quebrando o braço, numa dessas ocasionalidades que acontecem em toda viagem. O acidente acabou sendo pouco antes de chegarmos no lugar que eu mais esperava: a Laguna Colorada. Mas mesmo com dor, a laguna me encantou e seus milhares de flamingo diminuíram um pouco meu sofrimento.

3 anos do Nativos do Mundo
Deserto do Atacama
(Maio/15)
A viagem continuou no Deserto do Atacama, onde passamos dias tensos pela dor que eu sentia somado a um desconforto por achar ali tudo muito caro e excessivamente turístico. Teria sido uma viagem menos interessante se no penúltimo dia nós não tivéssemos descoberto o que seria a mais autêntica experiência atacamenha: o turismo comunitário no Ayllu de Coyo, onde fomos extremamente bem recebidos por uma família atacamenha e comemos um verdadeiro banquete, a melhor refeição de nossas vidas.



3 anos do Nativos do Mundo
Colômbia
(agosto/15)
Outra viagem que nos encheu de encanto pelo contato com os nativos e com o turismo de base comunitária foi em agosto, quando passamos alguns dias no Caribe Colombiano, mais especificamente nas Islas de Rosário com a Comunidade Afro-descendente de Orika. Foram dias intensos (e calorosos) convivendo com os locais e descobrindo a ilha, que desde praias paradisíacas de águas quentes, passando por uma mansão abandonada que foi do Pablo Escobar até plânctons bioluminescentes que só vemos ao nadar à noite em suas águas. Na mesma ocasião, aproveitamos pra conhecer um pouco da suntuosa (e excessivamente turística) Cartagena das Índias com sua linda muralha.

3 anos do Nativos do Mundo
Argentina
(dezembro/15)


A última viagem internacional de 2015, já no finzinho do ano foi para visitar um querido amigo em Buenos Aires, quando aproveitamos para rever a deliciosa San Telmo, meu bairro preferido na cidade e ainda curtimos um domingo bem portenho no Delta do Tigre, em companhia de amigos queridos. Estar na Argentina é sempre bom e não cansa nunca.






3 anos do Nativos do Mundo
São Paulo
(fevereiro/16)
Os primeiros meses de 2016 foram de intensos preparativos do que aconteceria em março: finalmente, partimos para nosso tão esperado mochilão de três meses por alguns países da Europa e um pulinho no Marrocos. Foram tantas mudanças e malabarismos para pôr esse plano em prática que não sobrou muito tempo pro blog, exceto para produzir conteúdos afetivos de lugares os quais morei e que estarei longe nos próximos meses, como São Paulo e Rio de Janeiro em que me despedi através de textos que fiz com muito carinho.


3 anos do Nativos do Mundo
Rio de Janeiro
(fevereiro/16)

Nesse ínterim, consegui até participar da minha primeira blogagem coletiva com os blogueiros da RBBV (Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem), grupo ao qual pertenço desde 2014. O motivo foi o #MuseumWeek, evento virtual criado pelo Twitter para promover a cultura mundo afora. Cada blogueiro escolheu um museu de sua preferência e eu escrevi sobre o Museu da República, no Rio de Janeiro, que me traz boas e saudosas recordações.





3 anos do Nativos do Mundo
Espanha
(Março/16)

E por fim preciso falar do momento em que nos encontramos agora. Em plena Lisboa, depois de percorrer Madrid e seus arredores, além do Marrocos e Andaluzia. Caminhamos vagarosamente e sem pressa, planejando cada dia e sem grandes preocupações do quanto vamos conhecer. Tem sido intenso e reflexivo tudo isso e, ao mesmo tempo, difícil de escrever. Está cada vez mais claro pra mim que preciso de um tempo para amadurecer cada viagem, como se ela precisasse assentardentro de mim para que eu conseguisse, aí sim, escrever sobre minhas impressões. Apesar de já estar com mais da metade do percurso completo, até agora consegui escrever apenas sobre Ávila, um pedacinho da Idade Média preservada em plena Espanha e sobre os três grandes museus de Madrid, que me encantaram deveras.

É certo que muitos posts ainda virão sobre essa aventura e o quarto ano do Nativos do Mundo já começa ativo e promissor. Obrigada pela companhia e seguimos juntos! Venham conosco!

As outras primaveras do blog em posts comemorativos:


4 comentários:

  1. :) Que os próximos anos sejam com experiências cada vez mais transformadoras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sônia!!!! Certeza que serão! :)
      Beijos!

      Excluir
  2. Muito sucesso pro blog! Vários lugares lindo nesses últimos tempo! Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada, querido! Sim, muitos lugares lindos e poucos posts, mas em breve resolvo isso! rs
      Beijos

      Excluir