segunda-feira, 23 de maio de 2016

Toledo, a primeira capital espanhola

Toledo, na Espanha

Uma imensa colina abraçada delicadamente pelo caudaloso Rio Tejo, numa geografia naturalmente protegida e bela. Assim é Toledo, antiga capital do Império Espanhol e que viu passar por suas praças e estreitas vielas diferentes povos e culturas, muitas vezes dividindo entre eles o mesmo território. Aqui cristãos, muçulmanos e judeus conviveram (não sem certa tensão, é fato) por muitos séculos, deixando suas marcas na história e cultura desse lugar, que apesar de pequeno em espaço é grande em importância para a formação do país que hoje conhecemos como Espanha.

Toledo, na Espanha
Um dos balcões tipicamente espanhóis, em Toledo

Quando chegamos à Toledo, ainda na estação rodoviária, me surpreendi ao ver aquela cidade, isolada no alto do morro, como num altar. Não imaginava que a subida fosse tão íngreme e logo pensei que estaríamos encrencados para subir aquilo tudo com os mochilões. A primeira boa notícia veio em seguida: nossa hospedagem era na parte baixa da cidade. Ótimo, mas em seguida veio outra preocupação: como vai ser pra subir e descer essa barranca a cada passeio? Bem, daí veio a segunda boa notícia: a cidade tem uma escalera mecanica (uma amigável escada rolante, em bom português), que nos conduz diretamente para 36 metros acima nos deixando bem no centro do casco antigo num piscar de olhos e sem esforço. Claro que ao chegar lá no alto, as ladeiras continuam, pois Toledo é literalmente um mar de sobe e desce, mas sem dúvida que a parte mais difícil é superada por essa maravilha da engenharia contemporânea.
Não sei qual impacto ambiental dessa construção (que ainda tem um enorme estacionamento acoplado), mas que ajuda no mobilidade não tenho dúvida. E foi por esse portal mágico de conforto que subi e desci várias vezes ao longo dos três dias que ficamos na cidade para descobrir os encantos da antiga capital do Império Espanhol. E quantas maravilhas há ali a serem desbravadas, escondidas pela horda de turistas que todas as manhãs chegam num (insuficiente) bate-e-volta desde Madrid

Puente de Alcantara, em Toledo, na Espanha
Puente de Alcantara

Toledo e suas três culturas

A história desse lugar mágico vem de tempos imemoriais, quando celtas, romanos e visigodos habitavam essa colina, mas se solidificou aos moldes de como a conhecemos hoje com a invasão muçulmana, ainda no primeiro século da era cristã e que se manteve por várias gerações, num período turbulento de guerras e disputas, assim como sublevações e revoltas. Foram mil anos assim até que Alfonso VI de León y Castilla fez um acordo com o rei árabe, preservando os bens e a liberdade religiosa de todas as minorias de Toledo, o que incluía os muçulmanos, os judeus e os mozárabes (cristãos de origem andaluz). Foi esse acordo que permitiu a conquista católica de Toledo sem derramamento de sangue e com certa tolerância entre as religiões. Esse foi o período de maior prosperidade e crescimento da cidade, porém não durou muito até que os cristãos voltassem a exigir seu domínio, construindo igrejas por cima de mesquitas e destruindo tudo que não fosse de sua própria cultura.  Assim é que o que vemos hoje são monumentais construções com influências árabes, judaicas e católicas num mosaico de cultura, que torna Toledo um lugar extemporâneo.

Toledo, na Espanha
Detalhes das ruas de Toledo

Caminhar por suas ruelas é um desafio e nem sei quantas vezes me perdi até começar a entender a lógica labiríntica que predomina na disposição urbana toledana (e que posteriormente vi reproduzida em quase toda a Andaluzia e, mais ainda, nas medinas marroquinas). Mas se perder em Toledo está longe de ser um problema, pois por onde se entra há um esplendoroso edifício, ou um novo ângulo de alguma torre, ou (se dermos sorte) um belo mirante pro Rio Tejo. Foi assim, sem mapas e sem destino que percorri a cidade, me permitindo encantar pelas descobertas do caminho. E foram muitas!

Descobrindo Toledo

Qualquer caminhada por Toledo invariavelmente passa por seu imponente Alcázar, que fica estrategicamente posicionada no ponto mais alto da cidade e domina a paisagem desde muito longe. O Alcázar é um tipo de construção bem comum por toda a Espanha e tem sua origem no termo árabe Al-Quasaba, que significa fortaleza e tinha importante função militar, mesmo antes da chegada dos muçulmanos. A arquitetura atual foi concebida no reinado de Carlos V, que fez dali sua moradia real. Atualmente, o enorme prédio é sede do Museu do Exército e da Biblioteca de Castilla de la Mancha
Para entrar no museu é necessário pagar, mas nossa prestimosa anfitriã em Toledo nos deu a melhor dica que recebemos na cidade: a entrada da biblioteca é gratuita e, além disso, no último andar da torre onde fica a biblioteca, funciona um agradável e honesto café que oferece, na minha humilde opinião, a melhor vista de Toledo,  além de um pôr do Sol de tirar o fôlego- o mais lindo que vi em Toledo. Gostei tanto do lugar que lá fui nos três dias que passei na cidade e já era até reconhecida pelo garçon. É curioso, pois  o Café do Alcázar é pouquíssimo conhecido pelos turistas e apenas os frequentadores da biblioteca vão até lá. 

Café do Alcázar de Toledo, na Espanha
Fim de tarde numa das janelas do Café do Alcázar de Toledo

Da torre do Alcázar é possível ter uma vista panorâmica de quase toda a cidade e é encantador ver do alto as variações dos tons terrosos das paredes das casas do casco histórico, todas datas de alguns séculos de construção. Lá do alto, alguns prédios chamam a atenção e é delicioso ficar lá de cima tentando identificar cada um deles.
Sem dúvida que um dos que mais chama a atenção é a Iglesia de San Idelfonso, uma construção jesuíta, que demorou mais de um século pra ser concluída, sendo inaugurada em 1765. A igreja leva o nome do santo padroeiro de Toledo e tem sua fachada principal voltada para a Catedral. Em estilo barroco e rococó, tem no alto de sua cúpula e torres, um dos pontos mais altos da cidade e, por conta disso, se sobressai magnificamente na paisagem.

Iglesia de San Ildenfonso, vista do Alcázar de Toledo, na Espanha
Iglesia de San Ildefonso, vista do Alcázar

Iglesia de San Ildenfonso, vista do Alcázar de Toledo, na Espanha
San Ildenfonso e os 5o tons de terra de Toledo

Outro edifício que se destaca do alto do Alcázar é a belíssima Catedral da cidade, o principal exemplar da arquitetura gótica da Espanha. Assim como muitas igrejas espanholas, a Catedral de Toledo foi erguida a partir de uma mesquita, que já existia no terreno provavelmente desde o século XI. Foi apenas no século XIII que houveram as modificações em sua estrutura, que deram as características góticas atuais de sua fachada e interior.

Pôr do Sol em Toledo, na Espanha, com vista para a Catedral
Pôr do Sol com vista para a Catedral de Toledo

A Catedral, aliás, é tão imponente que é possível vê-la de vários pontos diferentes da cidade e para mim tornou-se um referencial durante as caminhadas que fiz pela cidade, já que era frequente que eu me perdesse a cada esquina e ao ver a sua torre conseguia me achar novamente no mapa mental que fui construindo.

Catedral de Toledo, na Espanha
Sempre há belas surpresas nas vielas de Toledo

Assim é que eu poderia ficar dias falando das igrejas e prédios de Toledo, mas vou precisar me restringir às que mais me chamaram a atenção. Um dos que mais me impressionou foi, sem duvida, o Monasterio de San Juan de los Reys , construído sob a ordem da Rainha Isabel I de Castilla para comemorar a grande vitória na Batalla de Toro, que assegurou o trono para Isabel e permitiu a unificação de Castilla e León,  nascendo o reinado dos Reis Católicos (Isabel I e Fernando II) e a própria Espanha. Essa foi a mais importante construção erguida no período dos Reis Católicos, com o objetivo de servir como mausoléu real, o que acabou por não se concretizar, já que os reis foram enterrados em Granada. De fato, o prédio chama a atenção por sua forma e riqueza de detalhes, que chama a atenção no horizonte da cidade.

Monasterio de San Juan de los Reys, em Toledo na Espanha
Monasterio de San Juan de los Reys

Monasterio de San Juan de los Reys, em Toledo, na Espanha
Monasterio de San Juan de los Reys

Mas a paisagem mais famosa de Toledo e que é o cartão-postal da cidade fica mais distante do centro. Assim é que precisamos atravessar o  Rio Tejo e ir até o Mirador del Valle para observar a cidade na sua melhor perspectiva. É possível ir caminhando, mas o mais comum entre os turistas é ir até lá com um trenzinho que sai da Plaza Zocodover, bem próxima da escada rolante e onde um verdadeiro enxame de turistas se junta para partir nos seus passeios de um dia. Nós pegamos o trem, mas já sabíamos desde o início que não seria nosso estilo de passeio. Realmente, teria sido melhor ir à pé, mas entendemos (erroneamente) que a distância até o famoso mirante era maior do que efetivamente é. Foi depois de saculejar um bocado dentro do tal trem e de passarmos pelos pontos que já havíamos conhecido à pé, finalmente, chegamos onde queríamos. A vista é realmente recompensadora de tão linda e é possível ter a dimensão completa do abraço que o Rio Tejo dá na colina que sustenta Toledo. Uma maravilha da natureza que compõe ainda mais com uma cidade que é uma maravilha da arquitetura.

Vista de Toledo e do Tejo, na Espanha
Toledo e o Tejo

Vista de Toledo, na Espanha
Vista de Toledo

Toledo e o Tejo

Aliás, o Rio Tejo é uma marca da cidade e merece destaque. Nascendo na Serra de Albarracín e desaguando em Lisboa, o Tejo é o mais extenso rio da Península Ibérica e vai formando lindas paisagens no seu caminho, como aqui em Toledo. Impossível passear pela cidade, sem se deparar com ele e com suas pontes.

O Rio Tejo, em Toledo, na Espanha
O Rio Tejo

A mais famosa e antiga delas é a Ponte de Alcântara, uma construção romana original e extremamente bem preservada, apesar de ser a mais antiga da cidade. Apesar da idade, ela está lá firme, forte e linda com seus arcos imponentes que cortam o rio. Apesar de ser romana, seu nome se origina de al-quantara, que em árabe significa ponte, uma nítida influência da cultura moura na região.

Puente de Alcantara, em Toledo na Espanha
Puente de Alcantara

Eu e Thiago atravessamos a ponte num delicioso fim de tarde e aproveitamos o passeio para conhecer mais de perto o Rio Tejo, já que lá do alto da cidade, ele toma outro aspecto. Suas margens são frequentadas pelos toledanos, que vem aqui caminhar, correr, ou simplesmente relaxar na grama com o delicioso barulho das águas correndo ali perto. O lugar é praticamente um parque e é bem difícil ver construção em suas margens, o que mostra um evidente cuidado com a preservação ambiental. Ponto para os espanhóis.

O Rio Tejo, em Toledo na Espanha
Passeando nas margens do Tejo

Mesmo ficando três dias na cidade, não consegui ver tudo o que Toledo tem a oferecer e me arrependo de uma em específico, que não entrei: a Sinagoga Santa María la Blanca, que foi expropriada dos judeus e transformada em templo católico, mas é um dos mais belos exemplares da juderia espanhola. Terei que voltar à Toledo para entrar na sinagoga e para ver o que ainda me resta conhecer, desse lugar que guarda tesouros em suas ladeiras.

Informações Práticas:

Como chegar?
O jeito mais rápido é de trem. Ele sai da Estação Puerta de Atocha, em Madrid e em trinta minutos chega em Toledo. É possível ver preço e horário na página da Renfe.
Já a forma mais barata é de ônibus. Essa foi a forma que escolhemos, pois a viagem não é muito demorada (cerca de uma hora e meia) e é metade do preço. O ônibus sai do terminal rodoviário da Plaza Elíptica, em Madrid e chega quase no mesmo ponto do trem, já próximo a escada rolante que dá acesso ao casco histórico da cidade.

Quanto tempo ficar?
A maioria esmagadora dos turistas vai à Toledo num bate-e-volta a partir de Madrid. Eu, definitivamente, não recomendo isso, apesar de entender que as vezes é a única opção possível no roteiro. Mas a questão é que Toledo tem muitos monumentos e prédios históricos, além de paisagens lindas, que merecem ser apreciadas com calma. Apesar de termos ficado três dias em Toledo, penso que dois dias sejam o mínimo para conhecê-la sem pressa e com a atenção que a cidade merece.

Toledo, na Espanha
Detalhes de Toledo

Dica de nativo

Nossa anfitriã do Airbnb nos deu dicas preciosas, daquelas que só os nativos sabem, que agregaram muito nos nossos dias em Toledo, que aqui compartilho:

1- Fuja dos restaurantes próximos à Plaza Zocodover, que são excessivamente turísticos e caros. Uma rápida caminhada pelas ruas ao redor da praça já tem restaurantes com melhor preço.

2- Visite o terraço do Hotel Carlos V, de preferência à noite. Ali funciona um restaurante, que tem uma vista linda de Toledo iluminada. O melhor? Para apreciar a vista e fazer algumas fotos não é necessário pagar! Basta entrar no hotel e seguir até o fim do hall de entrada, onde haverá um elevador, que lhe levará direto ao terraço. Nós fomos na primeira noite na cidade e entramos com certo constrangimento, mas ninguém nos perguntou absolutamente nada e ainda recebemos alguns sorrisos simpáticos. E para quem quiser tomar um drink no alto do hotel mais famoso da cidade basta sentar numa das mesas e pedir, pois o restaurante é aberto ao público.
Endereço: Plaza Horno de la Magdalena, 4

3- Pôr do Sol no Café Alcázar. Localizada, no último andar de uma das torres do Alcázar, esse foi, sem dúvida, o lugar que mais me encantou na cidade, tanto pela vista, já que ali é o ponto mais alto de Toledo, mas também pelo ambiente, frequentado por estudantes e locais, que vão estudar e fazer pesquisas na Biblioteca Castilla- la Mancha, que fica nos andares mais baixos da mesma torre. Os preços honestos do café e o clima descontraído me atraíram tanto, que lá fui em todos os dias que estivemos na cidade. Para chegar, basta subir até o último andar no elevador da biblioteca.
Endereço: Cuesta Carlos V, s/n (junto a entrada da Biblioteca Castilla-la Mancha).

Mais fotos:


Escola de Arte de Toledo, na Espanha
Escola de Arte de Toledo, na Espanha

Puerta del Cambrón, em Toledo na Espanha
Puerta del Cambrón, ou de los Judíos

Toledo, na Espanha


Toledo na Espanha
Camões na Escola de Arte de Toledo

Toledo na Espanha
Toledo vista do Café do Alcázar
Toledo, na Espanha, uma cidade que é uma pintura
Uma cidade que é uma pintura

Toledo na Espanha
Pelas ruas de Toledo


6 comentários:

  1. Compreender Toledo é, sem dúvida, dar um passo de gigante ma percepção do mosaico de povos que povoaram a Península Ibérica.
    A reportagem é muito boa, sente-se que a cronista se deixou imbuir da vida muito própria da urbe.

    Uma boa semana :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estar em Toledo e não se deixar tocar por toda essa história seria um desperdício, não é? Rs
      Muito obrigada pela visita! :)
      Abraços

      Excluir
  2. As fotos estão ma-ra-vi-lho-sas, Ana! As do pôr-do-sol então. Não era uma cidade que me excitasse particularmente a imaginação, mas terei que a colocar na minha (longa e sempre em evolução) lista.
    Abraço
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    P.S. Maravilhoso "ver" por aqui alguns dos meus amigos virtuais. Retribua e acredite que o AC voltará a visitá-la

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toledo vale à pena, Ruthia! Nós adoramos!
      Sim, fiquei muito feliz com a visita do AC e já retribuí! Você sempre está em boa companhia no seu blog! :)
      Beijos

      Excluir
  3. Obrigada por me dar oportunidade de matar saudade através da sua narração dessa cidade que tive o prazer de visitar.Linda D+.
    Parabéns você escreve lindamente, é um prazer ler seus textos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rose, obrigada! São comentários como o seu que me estimulam a continuar! Sê bem vinda aqui no meu cantinho!
      Um beijo

      Excluir