domingo, 13 de novembro de 2016

As maravilhas do Lago Malaui

Lago Malawi

O Malaui é um país pequenino, espremido entre Moçambique, Zâmbia e Tanzânia e sem saída para o mar. Mas, em compensação, tem em seu território boa parte de um dos maiores lagos de toda África, tanto em extensão, quanto em profundidade: o fabuloso Lago Malaui o mais famoso ponto turístico do país. Seu tamanho e também sua biodiversidade são tão importantes que, desde 1984, o lugar é considerado Patrimônio Mundial Pela UNESCO e aqui encontram-se várias espécies de peixes que não existem em nenhum outro lugar do mundo. O lago tem milhões de anos de existência e faz parte do imenso Vale do Rift, que é uma falha tectônica, que vai desde Moçambique até a Síria e surgiu, quando da separação dos continentes africanos e asiáticos.
Foi para esse cantinho especial que mais parece saído de uma cenário de filme, que fui com colegas de trabalho, no primeiro fim de semana semana prolongado que tive no país, numa deliciosa e inesquecível aventura, que relato a seguir.


Lago Malawi
"Malaui, o coração quente da África"

A viagem de cinco horas, desde Blantyre, foi com a paisagem que já havia me deparado nas estradas, devido aos meus deslocamentos à trabalho. Mas, conforme fomos nos aproximando do lago, a paisagem foi mudando completamente. Primeiro, uma vegetação seca, amarelada, árida. Depois, um trecho de montanha e a chegada, em que me senti entrando num oásis, tamanha a diferença das cores e até da umidade do ar do que vimos poucos quilômetros antes, na estrada. Sim, chegávamos no paraíso.

Lago Malawi
Pesca é a principal atividade econômica do lago

Por todos os problemas econômicos e sociais de um dos países mais pobres do mundo, o turismo não é algo comum no Malaui. Não conheço ninguém que sonha em passar férias por cá, ou que esteja juntando grana só pra conhecer o país. Mesmo assim, sempre tem um aventureiro ou outro, que gosta de destinos mais exóticos (apesar que detesto essa palavra, pois interpretar o que é diferente do seu próprio contexto, como algo exótico me parece um espírito um tanto quanto colonizador, que considera só o que vem da Europa, ou dos Estados Unidos, como algo normal). Mas, enfim, existem esses viajantes que querem experimentar algo diferente do mainstream do turismo convencional e decidem se arriscar. E, se há algum turista visitando o Malawi, é certo que o lugar que ele estará é no Lago Malawi, por ser a mais famosa atração turística do país. Tanto é que, numa tremenda coincidência, conheci no lago um brasileiro, que está mochilando pela África, fazendo trabalho voluntário. Ele trabalha de graça, em troca de alimentação e hospedagem. E, espertamente, escolheu o Lago Malawi pra passar dois meses. Ele não é bobo.

Mas a maioria dos estrangeiros que encontrei nessa minha viagem eram expatriados que estão no Malaui, trabalhando em alguma organização humanitária, já que (para o bem, ou para o mal) são muitas as ONGs que atuam no país. Todos aproveitaram o fim de semana prolongados para descansar à beira-mar, ou melhor, à beira-lago.

Vida mansa no Lago Malaui


Aliás, essa foi uma das coisas que mais gostei por aqui: tomar banho de lago. Pelo tamanho e cor da água, parece que estamos numa praia do Caribe, de tão azul é a sua cor. Mas, quando entramos, vem a melhor parte, já que o lago é quase um mar de água doce (e, por mais que eu ame o mar, a água doce é sempre mais gostosa). Passei horas intermináveis boiando e nadando sem pressa, me refrescando do calor africano e essa, sem dúvida, foi uma das melhores partes da viagem. 

Lago Malawi
Uma das minhas árvores preferidas no Malaui

É claro que, entre tantos problemas estruturais do país, o lago tem seus problemas é é infectado com esquistossomose, o que me obrigará a tomar alguns remédios dentro de algumas semanas para prevenir a doença, mas os efeitos colaterais de um comprimidinho valem as delícias de um fim de semana refrescante naquelas águas. Para mim, o maior desconforto é pensar nas centenas de pessoas que vivem às margens do lago e que usam suas águas para sobrevivência (seja para pescar, ou simplesmente tomar banho). Essas pessoas, provavelmente, não tem acesso ao tratamento para esquistossomose e não é incomum ver crianças bem barrigudinhas, provavelmente já infectadas. Outro problema que sazonalmente afeta a região é a cólera, mas não quando eu estava por lá, ainda bem para mim, mas uma preocupação constante para a população que aqui habita.

Em nossa estadia, ficamos em Cape Maclear, uma pequena comunidade do distrito de Mangochi. Apesar de ser aqui que se concentram a maioria dos hostels, hotéis e resorts do lago, a vila é habitada, em sua maioria, por nativos, que vivem às margens do lago, em casas simples, de palha, ou adobe, sem energia elétrica, ou saneamento básico.

Lago Malawi
Não, não é uma barraca de praia! É a casa de um nativo
Aliás, os nativos do lago são, não tenho a menor dúvida, a melhor parte desse lugar. Sempre sorridentes, amáveis, carinhosos e, mesmo falando apenas poucas palavras em inglês, faziam questão de nos cumprimentar. Em todas as caminhadas que fiz pela região, fui parada inúmeras vezes, fosse para fazer fotos (sim, eles amam ser fotografados e me paravam apenas para pedir isso), fosse para tocar minha pele (excessivamente branca para os padrões daqui), já que eles não estão acostumados com alguém da minha cor. As mulheres, principalmente, gostavam de tocar minha pele e esfregavam nervosamente a mão no meu braço, ou no rosto. Muitos queriam me mostrar suas aquisições, como o peixe pro almoço, a fruta pro café da manhã. Essa curiosidade e interesse mútuo foi, para mim, a melhor parte da viagem e essas lembranças do povo do Malaui ficarão sempre na minha memória.

Lago Malawi
O almoço está garantido

Lago Malawi
Ginga, swing e habilidade

Pelas águas do Lago Malaui

O bom de viajar com pessoas já experientes é que elas sempre sabem o caminho das pedras. E foi assim que meus colegas, que já vivem no Malaui há mais tempo, organizaram um delicioso passeio de barco, no fim de tarde, pelas águas calmas do lago, num dos momentos altos da viagem.

Lago Malawi
Vida de pescador

Começamos o passeio, numa espécie de aquário natural, numa curva do lago, cheia de pedras espalhadas, que deixa o ambiente protegido para várias espécies de peixes que ali vivem e se reproduzem. A quantidade de peixes é tão grande que nem é necessário mergulhar para vê-los, mas mesmo assim, caímos na água para ficar mais pertinho deles e, claro, nos refrescarmos do calor.

Lago Malawi
O aquário natural
Dali, partimos para a Ilha Thumbi, que fica bem em frente à Cape Maclear. No caminho, muitos pescadores em suas canoas feitas de troncos inteiros de árvore, pescavam calma e serenamente a comida de seu jantar.

Lago Malawi
Nativos do Lago Malaui

Quem também espreitava os mesmos peixes para jantar eram as águias. Sim, elas vivem aos montes na ilha e ali tem tudo que precisam para terem uma boa vida. Vimos, pelo menos, umas seis ou sete águias e o mais bonito era quando alçavam vôo de forma imponente e sempre dando um estridente grito. 

Lago Malawi
Sim, são águias!

E para terminar o passeio com chave de ouro, nosso simpático barqueiro, nos levou para um cantinho especial do lago, com uma visão privilegiada das montanhas ao redor do lago, onde assistimos um pôr do Sol paradisíaco, com aqueles tons de laranja e vermelho tão típicos do céu da África.

Pôr do Sol no Lago Malawi
Nosso barqueiro apreciando o pôr do Sol

Pôr do Sol no Lago Malawi

Pôr do Sol no Lago Malawi
Sol africano

E foi assim, com esse espetáculo da natureza, que terminamos nossa aventura pelo Lago Malaui, na minha primeira viagem propriamente turística pela África Subsaariana. Nada mal para começar e que venham novas aventuras pela frente, porque esse continente é grande demais e tem muitas maravilhas a serem descobertas...



6 comentários:

  1. Lugar bonito pra caramba mesmo hein!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O potencial turístico do país todo é GIGANTE, mas eles não tem grana pra investir em infra-estrutura, o que acaba afastando os turistas mais exigentes... é uma pena!

      Excluir
  2. Lindo por-do-sol.
    Com certeza é um belíssimo presente!!!

    ResponderExcluir
  3. Parece mar, incrível. E com o calor do local, um banho de águas doces, deve ser perfeitamente delicioso.
    Fotos maravilhosas, Cris!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fosse o risco de se contaminar com esquistossomose, seria o paraíso! rsrs
      Um beijo, querida Maria Gloria!

      Excluir