terça-feira, 13 de outubro de 2015

Cartagena das Índias, um lugar para se perder sem pressa

“Bastou dar um passo dentro da muralha 
para vê-la em toda sua grandeza 
à luz violeta das seis da tarde, 
e não pude reprimir o sentimento 
de ter voltado a nascer”
(Gabriel Garcia Márquez)
Sacadas de Cartagena, dentro da cidade amuralhada.

A primeira vez que li sobre Cartagena das Índias foi numa passagem inesquecível da auto-biografia do Gabriel Garcia Márquez, no livro "Viver para Contar", em que ele descreve com riquezas de detalhes sua entrada na ciudad amurallada. A importância desse fato em sua vida fica explícito, quando ele afirma ter voltado a nascer ao ver a luz violeta do fim de tarde batendo nas pedras da gigantesca muralha.  E esse renascimento não deixa de ser verdade, já que foi ali que Gabo iniciou seu trabalho como jornalista e escritor. O ano era de 1948 e o futuro ganhador do Prêmio Nobel de Literatura se vê obrigado a abandonar a faculdade de direito em Bogotá, devido a uma onda de violência e protestos no país, gerada pós o assassinato de um dos políticos colombianos mais importantes da época. Sua descrição da primeira noite na cidade, quando dormiu num banco de praça e ainda  foi preso pela polícia por desrespeitar o toque de recolher da ocasião dá o tom do que viria em sua vida nos anos seguintes da cidade, que o transformou definitivamente num dos mais inventivos e geniais escritores de todos os tempos com seu realismo mágico.

Sacadas de Cartagena das Índias, dentro da cidade amuralhada
Pelas ruas de Cartagena das Índias

Era uma vez no Caribe Colombiano...

Mas Cartagena das Índias já era famosa e imponente mesmo antes de Gabo se tornar um de seus ilustres moradores e, talvez tenha sido a história cheia de episódios mágicos onde piratas, corsários e tesouros escondidos eram protagonistas naquela região do Caribe Colombiano, que tenha atraído o inventivo literato.
A história de Cartagena começa muito antes dos espanhóis, mas é com a chegada deles que a cidade é oficialmente fundada e se torna um pólo fundamental para a economia colonial da época. Isso porque era do seu porto que embarcavam para a Espanha toneladas de ouro e prata espoliados dos nativos do continente, principalmente do território que hoje é o Peru e onde se concentrava a maior parte da riqueza do Império Inca. Tudo que era roubado (não consigo pensar em outra palavra mais adequada) dos índios era armazenado em Cartagena e, depois, iam diretamente para as mãos da Coroa Espanhola.
Não precisou muito tempo para que a cidade e os navios que dela desembarcavam carregados de ouro virassem alvo de ataques de piratas e corsários, que viam ali uma oportunidade de enriquecimento fácil. Mesmo localizada numa posição estratégica, dentro de uma baía e numa região relativamente plana, a cidade foi alvo de várias pilhagem até que o rei da Espanha encomendou a construção de uma enorme e fortificada muralha para proteger a cidade, nascendo assim a famosa ciudad amurallada.

Pela cidade amuralhada, em Cartagena das Índias
Pela ciudad amurallada

O projeto arquitetônico de fortificação de Cartagena das Índias é considerado o mais completo da América do Sul e incluía ainda a construção de uma enorme castelo no alto de um morro, que tinha como função proteger a cidade contra ataques terrestres. Esse humilde castelo recebeu o nome de São Felipe de Barajas.

Castelo São Pedro de Barajas, em Cartagena das Índias
Castillo San Felipe de Barajas

Castillo São Felipe de Barajas

Ele impera soberano do alto da Colina de San Lazaro, com vista estratégica e privilegiada para toda a baía de Cartagena, ou quase toda, já que os enormes prédios da parte moderna de Cartagena encobrem um pouco a paisagem. Mas no século XVII, quando foi o Castillo San Felipe de Barajas foi erguido, só havia povoamento dentro das muralhas e todo o resto do terreno era de floresta tropical. Assim era que lá do alto, qualquer tentativa de se chegar até Cartagena era facilmente detectada e interceptada. E, como se não bastasse, o inventivo arquiteto do projeto transformou a fortificação em nada menos que um labirinto para os inimigos, de tal sorte que qualquer tentativa de invasão do castelo, colocaria os invasores numa cilada. 

P´redio modernos ao fundo do castelo, em Cartagena das Índias
A foto parece antiga, mas os prédios modernos ao fundo não escondem sua idade

Aliás, mostrar os estratagemas de proteção do forte criados por Antonio de Arévalo, o arquiteto desse monumento, foi a maior diversão de nosso guia que parecia ter prazer em descrever cada uma das armadilhas pensadas pelo construtor, desde túneis internos com com falsas saídas, passando pelo ângulo certo que fazia com que os soldados de dentro do castelo enxergassem quem estava de fora, mas não o contrário, até o posicionamento das celas dos soldados, que foram projetados de maneira a que ninguém que estivesse fora dele conseguisse enxergar quem estava dentro, mas quem estava dentro enxergava quem estava fora. Parece confuso? E era, principalmente para os inimigos, que se perdiam e viravam alvo fácil.
Esses e outros detalhes engenhosos fizeram a fama do lugar, que ficou conhecido como impenetrável, o que não deixa de ser verdadeiro, já que até hoje ninguém conseguiu entrar ali sem a permissão devida.
O esquisito mesmo é estar ali naquela fortaleza cheirando a história e observar em volta tantos prédios altos e modernos. Cartagena me surpreendeu com esses extremos, mas o que mais me atraiu mesmo foram os casarões antigos de seu charmoso centro histórico amuralhado.

A cidade amuralhada vista do castelo
A ciudad amurallada vista do castelo

Cartagena, a Ciudad Amurallada

Apesar de certa decadência de anos atrás, Cartagena está revitalizada e viva. As ruelas e praças de seu charmoso centro histórico ficam abarrotadas de turistas de todas as partes do mundo, principalmente no fim da tarde, quando o calor caribenho dá uma trégua e caminhar por suas ruas se torna menos insuportável.
A muralha completa tem 11 km de extensão, mas a parte mais interessante dela fica mesmo de frente pro mar. Ali, passei os melhores momentos na cidade, flanando livremente por cima da imensa montanha de pedras e ainda usufruindo de uma brisa gostosa e refrescante.

A Ciudad Amurallada é o Centro histórico de Cartagena das índias.
A ciudad amurallada

Fim de tarde nas muralhas de Cartagena
Fim de tarde nas muralhas de Cartagena

Sem roteiro definido e simplesmente caminhando sem pretensões, fomos descobrindo aquele adorável Centro Histórico, enquanto nos surpreendíamos com a bela arquitetura de seus casarões antigos. Foi o que fizemos nas duas tardes que passamos por ali. Caminhamos sem pressa e olhando a todo tempo para as elegantes sacadas com forte influência moura. Influência, aliás, que também vimos em Santiago de Cuba, com a diferença que aqui quase todas as janelas são ornadas com flores. Fiquei com a impressão de que essa ornamentação floral é para o turista ver, pois quando fomos para fora da muralha, em áreas mais residenciais, continuamos vendo as sacadas e casarões antigos, mas sem tantas flores.

Sacadas com influência moura, em Cartagena das Índias
Sacadas com influência moura

Aliás, esse foi um incômodo constante em todo o período que estivemos na cidade: a falta de autenticidade, em prol de um turismo de massa. É claro que as casas são lindas e o clima na cidade delicioso, mas tudo ali gira em torno do turismo e mesmo as lindas palanqueras, como são chamadas as vendedoras de frutas, quase enfiaram bananas na minha goela abaixo para que eu as fotografasse, obviamente, em troca de algum trocado. Fiquei extremamente frustrada com a situação, pois fotografá-las era algo que eu mais queria em Cartagena, já que sempre via fotos coloridas e alegres com elas. Mas ao observar a manipulação, não consegui fotografá-las e a única foto que fiz foi de longe e, mesmo assim, sem foco. Com essa experiência, acabei ficando menos críticas às mulheres peruanas que também cobram por fotos e que eu havia reclamado, quando estivemos por lá. A verdade é que, ao menos, as peruanas deixam clara a cobrançace não tentam iludir o turista incauto, como as colombianas.

Palanqueras dentro da cidade amuralhada, em Cartagena das Índias
Decepção com as palanqueras(sim, elas cobram para serem fotografadas)

Ah, a dança folclórica colombiana...

Mas se a experiência com as palanqueras não foi como eu idealizava, outra surpresa ainda mais agradável nos esperava: as danças típicas colombianas, apresentadas numa das praças da ciudad amurallada. Foi um encontro casual, já no fim da tarde, mas que nos encantou e nos inundou de alegria. Ali, ouvimos os tambores fortes com nítida influência africana, como o Mapalé e também danças mais suaves e com características guajiras, como o Currulao, que mescla ritmos africanos e espanhóis. Pretendo escrever sobre os ritmos e danças colombianas em breve, mas enquanto não consigo compilar tudo, deixo aqui o link para o ótimo material produzido pela Cris Marques sobre o assunto, no Blog Dentro do Mochilão. Por hora, ficam os registros de algumas fotos desse agradável encontro com um grupo folclórico colombiano. As fotos foram feitas à noite, sem tripé e com o dançarinos em movimento, o que gerou imagens um tanto quanto artísticas, digamos assim...

Dança folclórica colombiana
Dança folclórica Colombiana
(Currulao)

Dança folclórica colombiana
Dança Folclórica Colombiana

Dança folclórica colombiana
Dança Folclórica Colombiana
(Mapalé)

Enfim, estar na agitada e movimentada Cartagena depois de quatro dias isolados nas Islas de Rosario foi um choque de cultura, mas mesmo assim valeu ter conhecido uma das mais intensas cidades colombianas.


Mais sobre a Colômbia



22 comentários:

  1. Que lugar magico! Entendo perfeitamente o Gabriel Garcia Marquez, eu tambem renasceria ai. Amei as fotos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabo sabia das coisas, Giulia! :)
      Um beijo

      Excluir
  2. Vou de certeza visitar quando me aventurar pela América Latina.. mas ainda não chegou o dia! Gostei muito da referencia ao Gabriel Garcia Marquez, um dos meus escritores preferidos! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Venha logo! A América Latina tem preciosidades lhe esperando!
      Garcia Marquez também é um dos meus preferidos! :)
      Beijos

      Excluir
  3. Este é dos sítios que queremos visitar quando nos iniciarmos pela américa latina. Obrigado pelo post, gostei muito das fotos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Venha, Manuel! A América Latina lhes aguarda para muitas aventuras! :)
      Um beijo

      Excluir
  4. Um artigo super interessante e completo. Confesso que ainda não conheço Cartagena. Só estive em Bogotá e San Andrés. Mas tenho uma vontade enorme de regressar à Colômbia! Principalmente depois de ler o post e entender melhor a importância estratégica da cidade no passado (para os colombianos e principalmente para os espanhóis), e pela influência que desempenhou na literaratura do grande Gabo, um dos meus escritores favoritos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Cartagena tem muitas magias! É uma cidade única, que vale a visita! Mais um motivo para você regressar à Colômbia! :)
      Abraços!

      Excluir
  5. Olá,
    Ainda não conheço, mas quero muito conhecer esta terra. Já tinha ouvido falar de algumas coisas mas agora já conheço mais. Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Catarina, se você assistiu "Piratas do Caribe" (com o Johnny Depp) já sabe um pouco das histórias dessa região! rs
      Um beijo

      Excluir
  6. Sempre ouvir dizer que Cartagena das Indias era uma cidade que devemos visitar pelo menos uma vez na vida. Depois de ler este post e ver as fotos, dá-me ainda mais vontade de alcançar esse objetivo! Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá assim que puder, Pedro! Vale muito à pena! :)
      Um beijinho

      Excluir
  7. Que post mais lindo... e fotos fantásticas. O seu relato é belíssimo, e vai entrar para a lista de cidades que eu quero conhecer. Beijo =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Martinha! Fico feliz em ter lhe inspirado! :)
      Um beijo

      Excluir
  8. Muito bom post! Adorei conhecer melhor Cartagena. :) É uma pena a situação com as palanqueras. Mas, realmente, há situações em que o dinheiro já suplanta a tradição. Parabéns pelas imagens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Quando o turismo vira mais um produto de consumo não dá em boa coisa! Por isso, um dos focos desse blog é o turismo sustentável, que valoriza as tradições locais! :)
      Um beijinho

      Excluir
  9. Cartagena de Indias é uma cidade fantástica mesmo! Uma das cidades mais históricas e mais bonitas da América Latina! Lendo seu texto fiquei com muita saudades, claro, é triste também por saber que cada vez mais a cidade fica mais turística. Eu tirei umas fotos escondidas das Palenqueras, mas acabei comprando umas cocadas (deliciosas por sinal) pra ter fotos melhores...Na última vez que estivemos lá, conversei com uma pessoa que morava em Getsemani e ela me disse que os autênticos cartageneiros estão sendo "expulsos" por estrangeiros estão comprando todos os imóveis centrais. Mas, fazer o que é complicado né! Obrigado pelo belo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Itamar, o turismo de massa me entristece! Essa gentrificação (expulsão dos locais) acontece em quase todos os centros com esse tipo de turismo! Por isso acredito que devemos valorizar o turismo sustentável, que valoriza as tradições e culturas locais! :)
      Um beijo!

      Excluir
  10. Uma cidade cheia de cores e que esbanja a multiculturalidade latina. Mistura da literatura com este passeio realmente é envolvente.
    A observação sobre o turismo só pra turista ver é pertinente, algo que tem descaracterizado muitas localidades, principalmente as mais vulneráveis.
    Parabéns!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Cartagena tem essa latinidade misturada com as raízes africanas, que aliás parece muito com a nossa! Eu fico alucinada com as cores, as músicas e a danças! :)
      Um beijinho

      Excluir
  11. Ana, olá querida!
    Encantada com a tua postagem, para variar! Todo o conteúdo é excelente, uma leitura deliciosa, como se estivesse flanado com você! E as fotos?
    Nem vou falar mais, já sabe, adoro! Aqui, no teu blog, fiz uma grata descoberta.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, querida Maria Gloria! Muito obrigada! Fico mesmo feliz com seu comentário e suas visitas! Volte sempre, sempre! :)
      Um beijinho

      Excluir